ALEGRETENSE APRESENTA EM SÃO PAULO TCC DE UM CENTRO ONCOLÓGICO PARA ALEGRETE


O trabalho final de conclusão de curso para uma alegretense e sua família vai além do TCC. A jovem Arquiteta e Urbanista, Cynthia Gracioli Ramos, apresentou na Universidade Anhembi em São Paulo o seu Trabalho de Conclusão de Curso e surpreendeu a família: o projeto é de um Centro Oncológico para a Zona Leste em Alegrete.
A prima Lisiane, fala emocionada, que aos 13 anos ela perdeu a mãe e o pai com câncer e toda a família a acolheu. Ainda jovem foi morar em São Paulo com irmãos maternos e uma filha de criação de seus pais que a criou.
Seu sonho era ser arquiteta, mas nunca imaginávamos que iria fazer um projeto como esse, comenta a prima. Acredito que pensou em fazer algo para ajudar às pessoas que sofrem com a doença, e que se à época em que seus pais foram acometidos por neoplasias, em 2008, já tivesse aqui na cidade ou região, o sofrimento teria sido menor.
"Eu estava no oitavo semestre e iniciei a escolher o tema para o TFG. Me interessei por alguns,  entretanto, me perguntei: o que eu mais sentia falta em Alegrete? E me dei conta que era dos meus pais que ficaram por longos períodos longe de mim justamente pelo tratamento oncológico que minha mãe fazia aqui em São Paulo”.

A arquiteta se deparou com a situação que a maior parte da população enfrenta. Poucos  têm  condições de se manter fora de Alegrete para o tratamento do câncer. Ainda que haja o tratamento em Uruguaiana, seria de extrema importância que Alegrete, como centro da Região, tivesse o tratamento oncológico, pondera.
E ao longo do nono e do décimo semestre da faculdade diz que leu diversos artigos que falavam da importância da família no tratamento daqueles que estão enfermos. Mais uma razão para que a Fronteira Oeste tenha mais este tipo de serviço.

Para montar esse projeto, Chyntia pediu ajuda a arquiteta alegretense, que atua na Prefeitura, Catiellen  Thurow. – Como atuei na Secretaria da Saúde tenho conhecimento de projetos nessa área. – É um trabalho fantástico, porque ela não pensou só no espaço, mas em tudo o que um paciente precisa e pode ajudar em sua recuperação, comentou. Foi uma honra poder auxiliar essa conterrânea que teve seu trabalho indicado pela sua faculdade ao Prêmio Opera Prima. Um concurso nacional que só é indicado quem tem destaque em faculdades de arquitetura.

Agora, o projeto já existe e imagine se um dia o Município abraçar e  realmente Alegrete possa contar com Centro Oncológico como esse da arquiteta Cynhia, que apesar de estar longe de sua cidade Natal nunca esqueceu daqui e agora acalenta o sonho de ver esse trabalho sair do papel, para que as pessoas não tenham que se afastar de suas famílias e passar por um tratamento tão doloroso. (Portal Alegrete Tudo)


'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();