EM ALEGRETE PACIENTES DENUNCIAM COBRANÇAS INDEVIDAS EM CONSULTAS MÉDICAS PELO IPE


Nesta semana chegou à redação do Portal Alegrete Tudo várias denúncias de que usuários do Ipê, estariam pagando valores fora da tabela para consulta com alguns profissionais médicos em Alegrete.

Segundo apurou a reportagem, pacientes tinha que obrigatoriamente pagar cerca de R$ 200,00 na primeira consulta, somente na segunda visita o valor estipulado pelo Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul, é obedecido.

Também existem casos, em que segurados tentam marcar consulta pelo Ipê, e precisam aguardar de 15 a 20 dias, porém um esquema de cobrança indevida agiliza a consulta já para o próximo dia, num valor que em algumas situações chega a 900% mais caras.

A reportagem assistiu a tentativa de uma paciente marcar uma consulta com uma médica especialista no município. O caso já descrito por outros beneficiários se confirmou. Mesmo identificando ser usuária do Ipê Saúde, o valor na primeira consulta foi estipulado em R$ 200,00. A atendente não soube explicar o porquê da cobrança, segundo a usuária do plano de previdência.

Na agência de Alegrete, o Coordenador de Previdência e Saúde, Anélio Sanchotene Cardona, confirmou que segurados têm reclamado deste tipo de cobrança em Alegrete. No município de Alegrete são estimados mais de 18 mil segurados e cerca de 70 médicos estão cadastrados e aptos a atenderem, conforme contrato com o IPERGS.

A partir da aprovação da Lei nº 15.144 de 2018, o IPE Saúde passou a ser uma autarquia com foco exclusivo na área assistencial à saúde do servidor, com gestão qualificada para melhorar os serviços oferecidos aos segurados.

Sobre as cobranças indevidas, o coordenador disse não ter ingerência sobre quaisquer reclamação dos segurados, que são orientados a encaminhar a reclamação via ouvidoria. Porém, respondeu que em casos como estes que sejam comprovados as cobranças fora da tabela, se comprovada a irregularidade, o profissional está sujeito ao descredenciamento, conforme cláusulas contratuais.

As regras gerais de coparticipação estão definidas na Resolução n° 311/2010. Essa normativa define as categorias de usuários, que vão de 1 a 5, de acordo com o seu salário de contribuição; bem como as situações em que a coparticipação é devida.

Segue abaixo tabela com os percentuais de coparticipação de acordo com a categoria e com o tipo de atendimento pretendido:
CategoriaSalário¹ConsultasExames
1Até R$ 666,09R$ 9,005%²
2De R$ 666,09 a R$ 1.776,24R$ 13,0010%
3De R$ 1.776,24 a R$ 2.664,36R$ 19,0020%
4De R$ 2.664,36 a R$ 3.552,48R$ 20,0030%
5Acima de R$ 3.552,48R$ 28,0040%




 
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();