CONSELHEIRO TUTELAR DE PORTO ALEGRE É SUSPEITO DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE ADOLESCENTES E ALICIAMENTO PARA PROSTITUIÇÃO




Um conselheiro tutelar de Porto Alegre é investigado por exploração sexual de adolescentes, aliciamento e cooptação para prostituição. Na manhã desta quarta-feira (24), o Ministério Público e a Polícia Civil cumpriram mandados de busca e apreensão no Conselho Tutelar da Microrregião 3, na zona lesteO conselheiro, que não teve o nome divulgado, foi alvo de denúncias feitas por parentes e também por mães de adolescentes.
Foram apreendidos, nas dependências do Conselho Tutelar e na residência do suspeito, computadores, laptop, pen drives e um telefone celular pertencente ao conselheiro, que serão periciados. O Ministério Público afirma que, durante as buscas, ficou comprovado que o conselheiro acessa constantemente, do computador do Conselho Tutelar, sites internacionais de pedofilia e também de agenciamento de programas sexuais. 
Para o Ministério Público, informações colhidas demonstram que o conselheiro mantinha conversas de conotação sexual com adolescentes em redes sociais e, nessas ocasiões, pedia e recebia imagens das jovens nuas. O conselheiro também é suspeito de intermediar “programas” para as adolescentes e realizar o pagamento nas dependências do Conselho Tutelar.
— Não houve a prisão em flagrante porque foi constatado que ele tem como estratégia apagar as fotos e os arquivos. Porém, os peritos têm a condição de recuperar essas imagens e conversas. Deve ser averiguada também a possibilidade de existência de improbidade administrativa, tendo em vista a violação do dever e da conduta ética — afirma o promotor da 11ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Porto Alegre, Júlio Almeida.
As buscas foram autorizadas pela juíza Tatiana Gischkow Golbert, da 6ª Vara Criminal. A operação foi coordenada por Almeida e pela delegada do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente, Sabrina Dóris Teixeira. (Gaúcha/ZH)

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();