EM SÃO FRANCISCO DE ASSIS OS PREJUÍZOS JÁ ULTRAPASSAM 5 MILHÕES DE REAIS



O escritório da Emater de São Francisco de Assis elaborou relatório que descreve tecnicamente as perdas ocasionadas pelos eventos climáticos no interior do município. Já foram contabilizadas grandes prejuízos e danos nas lavouras de fumo, feijão, soja, melancia e hortigranjeiros.

Muitas localidades estão sem energia elétrica que ocasionam perdas de produtos armazenados e também perdas de produção, pois as agroindústrias não conseguem beneficiar e produzir, atrasando todo o processo.

É uma das maiores dificuldades enfrentadas no município, conforme os produtores rurais, que não conseguem produzir e por outro lado também não conseguem escoar a produção, visto que as estradas não dão condições de acesso e tráfego.

Segundo o laudo técnico dos prejuízos decorrentes do excesso de chuvas em São Francisco de Assis, em valores já são contabilizados: Na soja - R$ 1.048.800,00; na melancia - R$ 828.000,00; no fumo - R$ 3.168.000,00; hortifrutigranjeiros/fruticultura - R$ 200.000,00; totalizando R$ 5.244.800,00.

Culturas Atingidas:

FUMO - Área atingida de 600 hectares, sendo que os danos ocasionados pelo vendaval e chuvarada, provocaram queda e morte de plantas, reduzindo a qualidade e rendimento da cultura. Além destes prejuízos, a qualidade do fumo colhido também está comprometida, pois com o excesso de umidade o fumo que está em processo de cura nos armazéns, estufas e galpões está se deteriorando.

HORTIGRANJEIROS - Foram contatados danos em estruturas de cultivo (estufas) onde são produzidas as hortaliças e legumes, pela ocorrência de ventos, as coberturas foram danificadas, causando assim perda de produtividade, comprometendo o desenvolvimento das plantas.

SOJA, FEIJÃO E DEMAIS CULTURAS - A cultura da soja também foi atingida, com muitos danos que causaram sérios prejuízos a planta no estado inicial de desenvolvimento. As demais culturas como feijão, batata-doce, mandioca, pomares, culturas de subsistência, etc..., também tiveram perdas, porém ainda não é possível fazer uma estimativa, pois os produtores ainda não conseguem avaliar as perdas em suas plantações.









'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();