"CRIOLLA DEL PRADO", NO URUGUAI, PODE PERDER A PARTE ARTÍSTICA E CULTURAL

Foto: LaRed21
No Uruguai começou uma nova discussão sobre a forma de realização do evento La Criolla Del Prado, que nasceu em 1925 com a realização de diversas atividades culturais, artísticas e campeiras, que reverencia os atos de Elias Regules - pioneiro no cultivo das tradições gaúchas.

Segundo informações do folclorista Paulo Fariello, líder cultural latino-americano de Montevidéu, capital uruguaia, falando exclusivamente com o historiador Valdevi Maciel, registrou a preocupação que está em torno da retirada dos "Fogones" a partir de 2019, ou seja, seria o fim da parte artística e cultural, ficando apenas a campeira no evento.

Há 20 anos, Valdevi Maciel era patrão do CTG Pedro Telles Tourem e liderou um projeto denominado "A Façanha Refeita", com delegação em visita ao evento com o objetivo de homenagear os 50 anos da visita de Paixão Côrtes e seus companheiros à "Criolla", pesquisando danças tradicionais, estando presente nesta comitiva, o assisense Vasco Mello Leiria - o Capitão Caraguatá. 

Para Valdevi, é importante que haja uma mobilização de autoridades para que isso não ocorra, em detrimento de se perder valores culturais: "Sendo assim, vamos a luta buscando sensibilizar as autoridades governamentais Orientais, para que entendam o valor que a CRIOLLA DEL PRADO tem para a cultura latino-americana, ultrapassando as fronteiras da Pátria Grande o nosso tão querido Uruguay.", enfatizou o historiador em suas redes sociais.

As visitas de comitivas representando entidades de São Francisco de Assis e Manoel Viana ocorreram por vários anos, promovendo uma integração que culmina com as atividades da Semana Farroupilha, no Brasil e o "La Criolla", no Uruguai. 



'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();