ELENIR WINCK DIVULGA AS PROPOSTAS DA CHAPA "DE CORAÇÃO PELA TRADIÇÃO"VISANDO A ELEIÇÃO DO MTG



Pela primeira vez na história, o Movimento Tradicionalista Gaúcho terá uma mulher disputando a eleição. A atual vice-presidente administrativa da entidade e professora Elenir Winck, de Panambi é candidata ao posto máximo do Movimento, na eleição em janeiro de 2019.  

A professora Elenir Wick faz um compromisso com os tradicionalistas através de seu projeto num conjunto de propostas  de sua  chapa, que trabalha o slogan: DE CORAÇÃO PELA TRADIÇÃO. Eis as propostas de trabalho:

PRINCÍPIOS:

I - Juntos realizar uma administração pautada na gestão democrática, com trabalho em equipe, onde as decisões serão sempre colegiadas;
II - O que for decidido, combinado ou ajustado será efetivamente cumprido;
III - Cada instância do Movimento será valorizada e respeitada: Encontros Regionais, Coordenadorias Regionais, Conselho Diretor, Vice-Presidências e Departamentos, Comissões Executivas
Regionais, Coordenadorias Regionais, Conselho Diretor, Vice-Presidências e Departamentos, Comissões Executivas.

OBJETIVOS E METAS:
1. Divulgar amplamente os documentos que norteiam o Movimento:
- Reimpressão imediata da Coletânea de Legislação Tradicionalista;
- Disponibilização via internet da Coletânea atualizada, possibilitando ser “baixada como e-book” (livro em formato digital);
- Ampliar a divulgação da Carta de Princípios.
2. Criar um Departamento de Ouvidoria:
- Implantar um departamento central, com representação regional por escolha das coordenadorias, com o fim de melhorar o fluxo de demandas da base do Movimento.
3. Dar continuidade à integração dos jovens, para que assumam determinadas funções e valorizar os mais experientes, caminhando juntos:
- Revisar e atualizar o Regimento Interno do Departamento Jovem, oportunizando que este seja mais atuante diretamente nas entidades e RTs., buscando proporcionar a participação mais direta e efetiva dos mesmos.
4. Concluir e colocar em atividade o sistema informatizado das informações relativas ao MTG e seus filiados:
- Proporcionar a melhora do fluxo de informações e maior facilidade de acesso aos usuários de forma rápida e segura.
5. Organizar de forma igualitária a discussão do temário das Convenções Tradicionalistas:
 - Durante as Convenções Tradicionalistas, realizar a discussão dos temas de forma alternada, oportunizando o debate e a votação de forma igualitária, sem que alguma área seja prejudicada por ficar para o final do evento, muitas vezes sem público.
6. Contemplar um programa de acessibilidade com vistas à inclusão de pessoas com deficiência:
- Melhorar as condições de acesso nos eventos oficiais do MTG;
- Buscar recursos e estimular que cada galpão melhore suas    condições de acesso em todas as áreas (Arquitetônica, Comunicacional, Metodológica, Instrumental, Programática e Atitudinal).
7. Criar macrorregiões (em princípio 6 ) para desenvolver o programa de qualificação, com a realização de cursos descentralizados para as seguintes áreas iniciais:
- Gestão administrativa, financeira e fiscal de CTGs (CFor Patronagem);
- Juventude voluntária (CForzinho);
- Elaboração de Projetos Culturais e estratégias de Captação de Recursos;
- Qualificação para a área de indumentária, visando criar grupos regionais de apoio aos CTGs;
- Qualificação (continuada) para todas as áreas que requeiram avaliadores.
8. Fortalecer os Departamentos de Pesquisas para estudo da indumentária, encilha gaúcha e artesanato regional:
- Criação de uma rede de informações com núcleos regionais e nas entidades filiadas;
- Retomar a importância do caderno Piá 21, do Jornal Eco da Tradição e de outros meios de comunicação do MTG;
- Publicação de livro impresso ou livro em formato digital (e-book), das pesquisas da Mostra Folclórica do ENART, Ciranda e Entrevero, objetivando dar conhecimento dos trabalhos realizados.
9. Retomar as relações do MTG com as áreas de ensino, em todos os níveis:
- Melhorar as relações com as escolas, a partir de uma ação do MTG com a Secretaria de Educação do Estado, SINEPE-RS, CONSEME/UNDIME e FAMURS;
- Buscar parcerias com as Universidades, dando visibilidade aos trabalhos acadêmicos vinculados à tradição gaúcha;
- Estreitar vínculos e estabelecer parcerias com instituições já consagradas,
como por exemplo, a Comissão Gaúcha de Folclore e a Estância da Poesia Crioula.
10. Elaborar projetos para a efetiva participação das crianças;
 - Organizar um grupo formado por pessoas com efetivo conhecimento na elaboração de projetos e orientação nas formas de desenvolver atividades direcionadas à criança, de acordo com sua faixa etária;
11. Reavaliar a formatação de eventos como a Mostra Folclórica, Tchêncontro,
Acampamento da Juventude e Seminários, objetivando valorizar e
dar maior visibilidade aos trabalhos realizados:
- Criar um grupo com representantes destes departamentos para estudar e criar um novo formato que venha de encontro aos anseios dos interessados.
12. Incentivar a manutenção dos Eventos Oficiais com suas finalidades e construção histórica:
- Criação de um fórum de debate sobre dificuldades, metodologia e referências bibliográficas da Ciranda e Entrevero;
- Retornar a realização do FEGADAN para as regiões em que predominam as entidades participantes. Estimular o Festival para que possa crescer em número de participantes e uma maior divulgação.
13. Estimular, efetivamente, a música regional e as manifestações individuais:
- Realização de mostras regionais de música galponeira e nativista / manifestações individuais;
- Ouvir os musicistas tradicionalistas sobre a possibilidade de retomada do Festival Cante e Encante seu CTG.
14. Recompor as comissões de avaliações artísticas do MTG:
- Para a escolha de avaliadores os critérios serão o comprometimento com a instituição, imparcialidade nas decisões, comportamento ético e qualificação técnica.
15. Proporcionar atenção especial à área campeira:
- Fortalecer a ORCAV e criar um calendário de cavalgadas;
- Manter permanente interlocução política, com vistas a não permitir o avanço das ações que visem proibir ou segregar os Rodeios Crioulos;
- Não permitir a deturpação da pilcha tradicional e das peças de encilha que caracterizam a história do gaúcho.
16. Criar um Grupo de Estudos com vistas a analisar e propor medidas para gerenciamento dos “Eventos campeiros com vaca-mecânica”:
- Estudar a possibilidade de criação de um departamento que trate desse assunto sob o ponto de vista de uma atividade meramente esportiva, sem qualquer cunho histórico-cultural.
17. Incentivar a realização da prática de esportes campeiros nas regiões tradicionalistas:
- Incentivar o interesse e o gosto pelo mesmo, especialmente em crianças e jovens, fortalecendo dessa forma os eventos a nível estadual.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();